Category: Gênero e Sexualidade

Lançamento do Centro Interdisciplinar de Estudos de Gênero Dandara promoveu o debate crítico e trocas de experiências

Participantes da Comunidade de Itapai/ Redenção-CE

O Centro Interdisciplinar de Estudos de Gênero Dandara (Cieg Dandara) teve suas atividades iniciadas pelo evento de lançamento, ocorrido no último dia 6, realizado pela Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), em parceria com a Prefeitura Municipal de Redenção e o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, em Redenção/CE.
Logo na abertura, o evento cultural com apresentação artística do Grupo Unisons dando boas-vindas aos professores, bolsistas e pesquisadores e jovens da Comunidade de Itapai de Redenção/CE.
Outro momento, a palestra magna envolvendo a temática “A Importância do Debate de Gênero no Ambiente Escolar: Experiências do Projeto Gênero e Diversidade na Escola”, com a professora, doutora em Antropologia Social, e pesquisadora do Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades (NIGS) e do Instituto de Estudos de Gênero (IEG) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e o professor do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas (ICSA/Unilab), também coordenador do curso de Administração Pública, modo presencial, Pedro Rosas Magrini. 
A atividade de Roda de Conversa: “Cores de Aidê: o protagonismo feminino na arte de tocar tambor” teve a repercussão e participação do grupo de Jovens da Comunidade de Itapaí com a explanação e tira dúvidas da pesquisadora que atua nas temáticas de Antropologia, História, educação, gênero, sexualidade, políticas públicas e religiosidades, Tãmia Welter.
Segundo a coordenadora do projeto CIEG, a professora do Instituto de Humanidades e Letras (IHL/Unilab), Violeta Holanda, o centro tem por objetivo manter as pesquisas científicas e o debate crítico na área de gênero, reunindo pesquisadores em rede local, nacional e internacional. Além de contar com a participação direta de docentes e estudantes dos diversos cursos do Instituto de Humanidades (IH), Instituto de Linguagens e Literatura (ILL) e Instituto de Ciências Sociais Aplicadas (ICSA).

Tãmia Welter, doutora em Antropologia Social e professora da UFSC

Para a membra titular do Conselho de Defesa dos Direitos Humanos do Estado do Ceará, Violeta Holanda, o lançamento do Centro de Pesquisa ocorreu no mês de aniversário das mortes de Dandara dos Palmares, ícone da história e resistência negra no período colonial brasileiro, que não se encaixava nos padrões de gênero que ainda hoje são impostos às mulheres no Brasil”. Como também, de Dandara dos Santos, travesti brutalmente espancada e executada no bairro Bom Jardim, em Fortaleza. O crime teve forte repercussão após o compartilhamento das imagens das agressões nas redes sociais.
“A morte de Dandara traduz atos de violência, intolerância e homofobia praticados cotidianamente contra a população LGBT+ em nosso país”, esclareceu a professora.

Cieg Dandara
O Cieg Dandara dedicar-se aos estudos interdisciplinares das relações de gênero em interface com as relações étnico-raciais, no que tange a construção das subjetividades, das identidades, das memórias, das produções literárias, dos processos formativos, das práticas socioculturais e sociodiscursivas acerca das feminilidades e masculinidades, em uma perspectiva decolonial/pós-colonial e intercultural, além de propor e realizar ações na área de gênero e sexualidades na Unilab. 

Novo Centro Interdisciplinar de Estudos de Gênero (CIEG DANDARA) terá evento de lançamento no próximo dia 6/2.

No próximo dia 6 de fevereiro, quarta-feira, acontecerá o lançamento do novo Centro Interdisciplinar de Estudos de Gênero DANDARA – CIEG DANDARA, com a presença da pesquisadora Dra. Tânia Welter do Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades – NIGS/UFSC, realizado em parceria com a Prefeitura Municipal de Redenção e o Conselho da Mulher de Redenção. A palestra magna terá como tema A Importância do Debate de Gênero no Ambiente Escolar: Experiências do Projeto Gênero e Diversidade na Escola.

O CIEG Dandara tem como objetivo dedicar-se aos estudos interdisciplinares das relações de gênero em interface com as relações étnico-raciais, no que tange a construção das subjetividades, das identidades, das memórias, das produções literárias, dos processos formativos, das práticas socioculturais e sociodiscursivas acerca das feminilidades e masculinidades, em uma perspectiva decolonial/pós-colonial e intercultural, além de propor e realizar ações na área de gênero e sexualidades na Unilab. A primeira reunião do grupo para planejamento de atividades aconteceu na última quarta-feira, 23, na Unidade Acadêmica dos Palmares, em Acarape.

O CIEG DANDARA conta com a participação direta de docentes e estudantes dos diversos cursos do Instituto de Humanidades, Instituto de Linguagens e Literatura e Instituto de Ciências Sociais Aplicadas.

Unilab e UFC se destacaram no IX CINABEH

“Diversidade Sexual, Gênero e Raça: Diálogos Brasil-África” foi o tema da IX CINABEH | Foto: Luciano Morais
Em novembro, e a Unilab, juntamente com a ABEH e a Universidade Federal do Ceará (UFC), promoveu a nona edição do Congresso Internacional de Estudos Sobre a Diversidade Sexual e de Gênero da Associação Brasileira de Estudos da Homocultura (CINABEH), que aconteceu pela primeira vez no Ceará.
A temática apresentada trouxe a “Diversidade Sexual, Gênero e Raça: Diálogo Brasil-áfrica” como foco de pesquisas, apresentações e palestras aos participantes do evento e interessados nas temática. De acordo com a organização, estiveram presente aos equipamentos (Centro de Convivências da UFC e Centro Cultural Dragão do Mar) em Fortaleza/CE, cerca de 2135 pessoas nas atividades realizadas durante os três dias.
Apresentação do projeto de extensão Vozes D’África, coordenado pela professora Artemisa Odila e vinculado à Proex/Unilab
O congresso reuniu pesquisadores de universidades públicas federais, estaduais e particulares atuando na área de estudos sobre gêneros e diversidade sexual, como também estudantes dos campi da Unilab da Bahia (Campus dos Malês) e do Ceará (Campus da Liberdade, Auroras e Unidade Acadêmica dos Palmares), além dos monitores e congressistas.
A Associação Brasileira de Estudos da Homocultura (ABEH), presidida pela professora do Instituto de Humanidade (IH/Unilab) e doutora em Educação pela Universidade Federal do Ceará (UFC), Luma Nogueira de Andrade, pesquisadora do gênero feminino e sexualidade.
Participação de pesquisadores brasileiros e de outros países na exposição da temática | Foto: Luciano Morais
Além de conferências com palestrantes internacionais, o evento trouxe simpósios temáticos, exposição de banners, apresentações artísticas, debates e uma programação artístico-cultural com as mais variadas linguagens: música, artes cênicas, artes visuais e audiovisual. A Pró-Reitoria de Extensão Arte e Cultura (Proex/Unilab) colaborou com a realização da programação artística através dos grupos formados em projetos e programas de extensão da Unilab, como o Grupo Unisons e o Vozes D’África.
Apresentação do Grupo Unisons, resultado do projeto de extensão “Performance da Cultura Afrodescendente – Uniculturas”,  vinculado à Proex/Unilab e coordenado pelo professor do IH. Ricardo Nascimento.
A vice-reitora e professora do Instituto de Ciências Exatas e da Natureza (Icen), Andrea Linard, esteve presente na Conferencia de Abertura do CINABEH falando da importância da apresentação das pesquisas desenvolvidas e produzidas no âmbito da ABEH, das quais a Unilab tem “o compromisso de combater qualquer forma de discriminação”, declarou a docente e enfermeira.
Representantes da Unilab e congressistas do IX CINABEH | Foto: Luciano Morais
Na conferência de encerramento a professora do Instituto de Ciências da Saúde (ICS) e pró-reitora de Extensão Arte e Cultura (Proex/Unilab), Rafaella Pessoa parabenizou a realização do evento e o protagonismo de estudantes, técnicos e docentes da universidade pela iniciativa. Segundo a avaliação dos participantes e apoiadores das causas, o evento superou as expectativas e objetivos estabelecidos.

Unilab participa do IX Congresso Internacional da ABEH

Pela primeira vez no Ceará, o Congresso Internacional da ABEH – IX CINABEH chega a sua nona edição. O evento que acontece a cada dois anos e reúne pesquisadores de universidades que trabalham na área de gênero e diversidade sexual ocorrerá de 28 a 30 de novembro.
A Unilab, junto à Universidade Federal do Ceará (UFC), participa da realização do evento, que contará com conferências de convidados renomados a nível internacional, além de mesas, simpósios temáticos, banners e formação para docentes da educação básica, entre outras atividades.
Com o tema “Diversidade sexual, gênero e raça: diálogos Brasil-África”, o congresso prevê a participação de mais de duas mil pessoas. Durante os três dias de evento, as atividades serão realizadas das 8h às 18h, no Centro de Convivência da UFC (Campus do PICI), e das 19h30 às 23h, no Centro de Cultura e Arte Dragão do Mar.
Atualmente, a Associação Brasileira de Estudos da Homocultura (ABEH) é presidida pela professora da Unilab Luma Nogueira de Andrade, pesquisadora do gênero feminino e primeira doutora e docente da Universidade Federal do Brasil.
“Neste IX Congresso Internacional, queremos fortalecer o compromisso e reunir um número significativo de trabalhos acadêmico-científicos e experiências de diferentes áreas do conhecimento, que versem sobre discussões da diversidade sexual e de gênero interseccionalizadas com as questões raciais”, explica a organização, que convida o público a pensar para além dos limites de descrever os aspectos técnicos e/ou científicos de suas pesquisas, relacionando-os a um contexto mais amplo.
Confira a programação e demais informações no site do evento.

Docentes da Unilab participam do II Seminário do NAH/Uece nos dias 22 e 23

Nos próximos dias 22 e 23 de novembro, a Unilab, através da Pró-Reitoria de Políticas Afirmativas e Estudantis (Propae/Unilab), participa da segunda edição do Seminário do  Núcleo de Acolhimento Humanizado às Mulheres em Situação de Violência da Universidade Estadual do Ceará (UECE) com o tema: “Violência de Gênero na Universidade: Interseccionalidades de classe, raça e diversidade sexual”, organizado pelo Núcleo de Acolhimento Humanizado às Mulheres em Situação de Violência (NAH-UECE).
O evento anual será no auditório da Casa da Mulher Brasileira, na rua Tabuleiro do Norte com, Rua Teles de Sousa – Couto Fernandes, Fortaleza – CE, como parte da programação dos “16 Dias de Ativismo no combate a violência contra as mulheres” com apresentação de mesas de debate, programações culturais e o Sarau da Resistência.
Os interessados devem preencher o Formulário Eletrônico para garantir a participação no evento.
No período da tarde da quinta-feira (22), a partir das 14, a programação cultural é aberta pelo Grupo de Extensão Uniculturas da Unilab, coordenado pelo Professor Ricardo Nascimento, vinculado ao Instituto de Humanidades (IH).
Logo depois, a segunda mesa de debates com o tema “Nossos passos vem de longe” terá a participação do Projeto “Mulheres Negras Resistem: processo formativo teórico-político para mulheres negras”, coordenado pelo Centro de Estudos Interdisciplinares africanos e das diásporas (CeiÁfrica) vinculado à Universidade de Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (Unilab), da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para promoção da igualdade racial (CEPPIR) e o Laboratório de Estudos e Pesquisas em Afrobrasilidade, Gênero e Família (Nuafro), vinculado ao Centro de Estudos Sociais Aplicados (Cesa), da Universidade Estadual do Ceará (Uece).
Na manhã do dia 23 (sexta-feira), após a apresentação cultural, a terceira mesa de debates vai contar com a participação das docentes do Instituto de Humanidades (IH) da Unilab, Luma Nogueira de Andrade, diretora da Associação Brasileira de Estudos da Homocultura (ABEH) e Violeta Holanda, coordenadora do Núcleo de Políticas de Gênero e Sexualidades (NPGS/Propae), vinculado à Pró-Reitoria de Políticas Afirmativas e Estudantis (Propae).
Programação do II Seminário de Violência de Gênero

Unilab participa do II Seminário do NAH/Uece nos dias 22 e 23

Nos próximos dias 22 e 23 de novembro, a Unilab, através articulação da Pró-Reitoria de Políticas Afirmativas e Estudantis (Propae/Unilab), participa da segunda edição do Seminário do  Núcleo de Acolhimento Humanizado às Mulheres em Situação de Violência da Universidade Estadual do Ceará (UECE) com o tema: “Violência de Gênero na Universidade: Interseccionalidades de classe, raça e diversidade sexual”, organizado pelo Núcleo de Acolhimento Humanizado às Mulheres em Situação de Violência (NAH-UECE).
O evento anual será no auditório da Casa da Mulher Brasileira, na rua Tabuleiro do Norte com, Rua Teles de Sousa – Couto Fernandes, Fortaleza – CE, como parte da programação dos “16 Dias de Ativismo no combate a violência contra as mulheres” com apresentação de mesas de debate, programações culturais e o Sarau da Resistência.
Os interessados devem preencher o Formulário Eletrônico para garantir a participação no evento.
No período da tarde da quinta-feira (22), a partir das 14, a programação cultural é aberta pelo Grupo de Extensão Uniculturas da Unilab, coordenado pelo Professor Ricardo Nascimento, vinculado ao Instituto de Humanidades (IH).
Logo depois, a segunda mesa de debates com o tema “Nossos passos vem de longe” terá a participação do Projeto “Mulheres Negras Resistem: processo formativo teórico-político para mulheres negras”, coordenado pelo Centro de Estudos Interdisciplinares africanos e das diásporas (CeiÁfrica), vinculado à Universidade de Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (Unilab), da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para promoção da igualdade racial (CEPPIR) e o Laboratório de Estudos e Pesquisas em Afrobrasilidade, Gênero e Família (Nuafro), vinculado ao Centro de Estudos Sociais Aplicados (Cesa), da Universidade Estadual do Ceará (Uece).
Na manhã do dia 23 (sexta-feira), após a apresentação cultural, a terceira mesa de debates vai contar com a participação das docentes do Instituto de Humanidades (IH) da Unilab, Luma Nogueira de Andrade, diretora da Associação Brasileira de Estudos da Homocultura (ABEH) e Violeta Holanda, coordenadora do Núcleo de Políticas de Gênero e Sexualidades (NPGS/Propae), vinculado à Pró-Reitoria de Políticas Afirmativas e Estudantis (Propae).
Programação do II Seminário de Violência de Gênero

Grupo de Extensão Uniculturas

Coordenado pelo Professor Ricardo Nascimento, vinculado ao Instituto de Humanidades (IH), o Grupo de Extensão “Uniculturas: Unidos pela Integração” busca divulgar, valorizar e integrar as culturas existentes dos países membros da Unilab: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Projeto Mulheres Negras Resistem

O grupo é composto pela professora do IHL/PPGAS/Unilab, Vera Rodrigues e das estudantes Ariadne Rios (Masts/Unilab) e Mona Lisa da Silva (PPGAS/Unilab), buscam fomentar o protagonismo feminino e negro, por meio da formação de quadros de representação social e política. Tal representação visa atingir espaços públicos e privados de produção de conhecimento, elaboração e execução de políticas públicas, através de atos de intervenção com exposição dos trabalhos realizados durante os encontros nos módulos de atividade.