Category: Instituto de Linguagens e Letras

Lançamento do Centro Interdisciplinar de Estudos de Gênero Dandara promoveu o debate crítico e trocas de experiências

Participantes da Comunidade de Itapai/ Redenção-CE

O Centro Interdisciplinar de Estudos de Gênero Dandara (Cieg Dandara) teve suas atividades iniciadas pelo evento de lançamento, ocorrido no último dia 6, realizado pela Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), em parceria com a Prefeitura Municipal de Redenção e o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, em Redenção/CE.
Logo na abertura, o evento cultural com apresentação artística do Grupo Unisons dando boas-vindas aos professores, bolsistas e pesquisadores e jovens da Comunidade de Itapai de Redenção/CE.
Outro momento, a palestra magna envolvendo a temática “A Importância do Debate de Gênero no Ambiente Escolar: Experiências do Projeto Gênero e Diversidade na Escola”, com a professora, doutora em Antropologia Social, e pesquisadora do Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades (NIGS) e do Instituto de Estudos de Gênero (IEG) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e o professor do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas (ICSA/Unilab), também coordenador do curso de Administração Pública, modo presencial, Pedro Rosas Magrini. 
A atividade de Roda de Conversa: “Cores de Aidê: o protagonismo feminino na arte de tocar tambor” teve a repercussão e participação do grupo de Jovens da Comunidade de Itapaí com a explanação e tira dúvidas da pesquisadora que atua nas temáticas de Antropologia, História, educação, gênero, sexualidade, políticas públicas e religiosidades, Tãmia Welter.
Segundo a coordenadora do projeto CIEG, a professora do Instituto de Humanidades e Letras (IHL/Unilab), Violeta Holanda, o centro tem por objetivo manter as pesquisas científicas e o debate crítico na área de gênero, reunindo pesquisadores em rede local, nacional e internacional. Além de contar com a participação direta de docentes e estudantes dos diversos cursos do Instituto de Humanidades (IH), Instituto de Linguagens e Literatura (ILL) e Instituto de Ciências Sociais Aplicadas (ICSA).

Tãmia Welter, doutora em Antropologia Social e professora da UFSC

Para a membra titular do Conselho de Defesa dos Direitos Humanos do Estado do Ceará, Violeta Holanda, o lançamento do Centro de Pesquisa ocorreu no mês de aniversário das mortes de Dandara dos Palmares, ícone da história e resistência negra no período colonial brasileiro, que não se encaixava nos padrões de gênero que ainda hoje são impostos às mulheres no Brasil”. Como também, de Dandara dos Santos, travesti brutalmente espancada e executada no bairro Bom Jardim, em Fortaleza. O crime teve forte repercussão após o compartilhamento das imagens das agressões nas redes sociais.
“A morte de Dandara traduz atos de violência, intolerância e homofobia praticados cotidianamente contra a população LGBT+ em nosso país”, esclareceu a professora.

Cieg Dandara
O Cieg Dandara dedicar-se aos estudos interdisciplinares das relações de gênero em interface com as relações étnico-raciais, no que tange a construção das subjetividades, das identidades, das memórias, das produções literárias, dos processos formativos, das práticas socioculturais e sociodiscursivas acerca das feminilidades e masculinidades, em uma perspectiva decolonial/pós-colonial e intercultural, além de propor e realizar ações na área de gênero e sexualidades na Unilab. 

Instituto de Humanidades e Letras da Unilab realiza o II Encontro de Estudos em Funcionalismo Linguístico

Nos últimos dias 6 e 7 de fevereiro, a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) sediou o II Encontro de Estudos em Funcionalismo Linguístico. O evento, cuja primeira edição ocorreu em 2016, na UFC, pretende-se firmar na agenda dos encontros linguísticos nacionais como espaço de interlocução entre pesquisadores e interessados em estudar as línguas na perspectiva dos usos.

Durante o primeiro dia de evento, realizaram-se duas mesas-redondas. A primeira delas, intitulada Funcionalismo: descrição, análise e ensino, contou com a presença dos professores doutores Pedro Henrique Praxedes Filho (Uece), Nadja Pessoa (UFC) e Fábio Torres (Unilab/ILL). A segunda mesa, intitulada Funcionalismo: discurso e cognição, contou com a presença dos doutores Márcia Nogueira (UFC), Leosmar da Silva (UFG), José Alber Uchoa e Léia de Menezes. Ambas as mesas foram mediadas por docentes da Unilab, respectivamente: Cássio Rúbio e Izabel Larissa Lucena.

A abertura oficial do Encontro contou com o talento dos discentes da Unilab que integram o Grupo Unisons. A comissão organizadora do evento aproveitou para agradecer o apoio da Pró-Reitoria de Extensão, Arte e Cultura (Proex), nas pessoas da pró-reitora, Rafaella Pessoa, e do produtor cultural, Luciano Morais.

Após a programação cultural, deu-se a Conferência Magna de Abertura, com o tema “Funcionalismo como base teórica da preparação de gramáticas”, realizada pela professora doutora Maria Helena Neves (Unesp/Mackenzie), autora da recém-lançada obra “A gramática do português revelada em textos”.

No dia 7 de fevereiro, realizaram-se
quatro simpósios temáticos: Funcionalismo e Discurso I, Funcionalismo, Ensino e Variação,
Funcionalismo e Discurso II, Funcionalismo e Cognição, nos quais 20 trabalhos
foram apresentados.

À noite, o encerramento do evento contou com a conferência intitulada Linguística Funcional e ensino de gramática, ministrada pela professora doutora Maria Angélica da Cunha (UFRN/PPGEL), organizadora de obras de referência, tais quais Funcionalismo e Ensino de Gramática.

Durante todo o evento, contou-se com a participação da professora doutora Márcia Nogueira (UFC), coordenadora do Grupo de Estudos Funcionalistas da UFC. “Sua contribuição como docente, pesquisadora e orientadora de teses e dissertações na perspectiva funcionalista foi homenageada no evento”, ressaltam os membros da comissão organizadora, que também agradeceram aos estudantes da Unilab que atuaram como monitores do evento. “Uma equipe empenhada, que esteve na linha de frente do sucesso do II Encontro de Estudos em Funcionalismo Linguístico”, finalizam.

Avaliação de cursos 2018.1 começa nesta segunda-feira (4)

Nesta segunda-feira (4) terá início a Avaliação de Cursos da Unilab, referente ao semestre letivo 2018.1. A avaliação será realizada por meio do Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa), no qual discentes e docentes serão automaticamente notificados no momento do acesso.

A Avaliação de Cursos da Unilab está sendo realizada sobre a coordenação da Comissão Própria de Avaliação (CPA). A CPA é constituída por membros da comunidade acadêmica e da sociedade civil organizada, entre eles: docentes do quadro efetivo, provenientes das diferentes áreas do conhecimento contempladas na Unilab; representantes do corpo de servidores técnico-administrativos (TAEs); representantes do corpo discente; representantes da sociedade civil organizada.

A expectativa, segundo a CPA, é de que todos os docentes e estudantes participem desta Avaliação de Cursos. Mesmo considerando a instituição recente do processo, tem-se observado uma crescente adesão dos docentes e discentes, com destaque para a participação dos cursos de História (32,9%), Humanidades (33,2%), Matemática (38,2%) e Enfermagem (41,4%) na última edição.

Cabe ressaltar que a Avaliação de Cursos é um pré-requisito para o credenciamento, reconhecimento e acompanhamento periódico da qualidade dos cursos de graduação da Unilab. Esta verificação tem a finalidade de fomentar permanentemente a melhoria da qualidade da educação superior, sendo instituída recentemente como instrumento diagnóstico contínuo e sistemático na universidade, visando o levantamento de dados capaz de dar subsídio para o efetivo processo de gestão acadêmico-pedagógica dos cursos.

Resultados anteriores

Estão sendo estabelecidos ainda os fluxos de informação dos resultados das duas avaliações de curso anteriores no Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas – Sigaa pela Diretoria de Tecnologia da Informação – DTI. Em breve, o acesso será divulgado à comunidade acadêmica (docentes, discentes e coordenações de cursos).

Aguardamos sua participação nesse processo, sendo fundamental para a concretização do ciclo avaliativo na Unilab!

Curso de Línguas e Culturas Crioulas abre inscrições para estudantes e professores voluntários

Projeto de Extensão “Curso de Línguas e Culturas Crioulas” abre novas turmas e vagas para novos professores voluntários, com oferta de 20 vagas, aos interessados em participar do curso, de base portuguesa, coordenado pelos estudantes advindos de países africanos. As inscrições acontecem até dia 8 de fevereiro (sexta-feira) e as aulas serão na Unidade Acadêmica dos Palmares, em Redenção/CE.
A atividade é aberta a membros da comunidade acadêmica e à região do Maciço de Baturité, com aulas iniciadas em 15 de fevereiro (sempre as sextas-feiras), das 12h45 às 13h45. O curso tem carga horária de 15h, com direito a certificação através do Programa Institucional de Bolsas de Extensão de Línguas Estrangeiras e Portuguesa (Pibelpe/Proex), sendo coordenado pelo professor do Instituto de Literatura e Letras (ILL), Rodrigo Ordine.
Preencher os Formulários de Inscrições:  Estudantes e Professor Voluntário.
Para ser professor-voluntário, não há necessidade de experiência prévia. Basta ser fluente no idioma que gostaria de ensinar. Contamos com a participação de todos para fortalecermos ainda mais este projeto que está em funcionamento desde 2015.
Serão ofertadas 20 vagas para cada modalidade:
Módulo 1: Crioulo de Guiné BissauMódulo 1: Crioulo de São Tomé e PríncipeMódulo 1: Crioulo de Cabo VerdeMódulo 1: Língua Changana de MoçambiqueMódulo 1: Língua Kikongo / Kimdundo
Para mais informações, entre em contato pelo e-mail ([email protected]). 
Saiba mais sobre o projeto.
 

II Encontro de Estudos em Funcionalismo Linguístico tem prazo de submissão de resumos prorrogado

O segundo Encontro de Estudos em Funcionalismo Linguístico tem novo prazo de inscrição para submissão de resumos prorrogado até dia 20 deste mês. O encontro acontecerá dias 6 e 7 de fevereiro, em Redenção/CE.
Os interessados em inscrever para participar do evento e realizar a inscrição de seus resumos para comunicação oral em simpósio temático, podem acessar a Ficha de Inscrição, que está na página do evento, além de enviá-los para o e-mail [email protected]
Com o tema “Funcionalismo: teoria, descrição e ensino”, o evento ocorre nos campi da Liberdade e das Auroras, em Redenção/CE, sendo organizado pelo Instituto de Linguagens e Literaturas (ILL), da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab).
O II Encontro de Estudos em Funcionalismo Linguístico tem por objetivo proporcionar um espaço de diálogo entre professores, pesquisadores e estudantes que se interessam em investigar a língua sob o viés do paradigma Funcionalista.
O Funcionalismo se caracteriza por investigar a língua em uso, buscando compreender como os aspectos cognitivos e comunicativos envolvidos na comunicação humana condicionam a organização e o funcionamento das unidades linguísticas. Por possibilitar uma visão mais ampla e integradora da linguagem, o paradigma Funcionalista constitui campo produtivo para o diálogo com áreas, que, como o Funcionalismo, concebem a interdependência entre os processos linguísticos e os fatores sociais, cognitivos e discursivos relacionados ao uso da linguagem, tais como: a Sociolinguística, a Linguística Cognitiva, a Linguística de Texto, a Análise do Discurso, bem como a Linguística Aplicada no que diz respeito a questões relativas ao ensino de línguas.
A II edição do evento conta com a presença das professoras Maria Helena de Moura Neves (Unesp), na conferência de abertura, e Maria Angélica Furtado da Cunha (UFRN), na conferência de encerramento do evento. Além disso, haverá a participação de professores e pesquisadores da Universidade Federal do Ceará (UFC), como as professoras Márcia Teixeira Nogueira, Nadja Paulino Pessoa Prata e Maria Claudete Lima.
Simpósios temáticos
O evento realizará, também, inscrições para a participação em Simpósio Temático. Serão aceitas propostas de comunicação oral que se enquadrem em um dos seguintes eixos temáticos: Funcionalismo e Ensino; Funcionalismo e Discurso; Funcionalismo e Cognição; Funcionalismo, Variação e Mudança Linguística.

Café com Letras debate letramento e ensino da escrita

Nesta quinta-feira (13), às 16h30, no Auditório Administrativo do Campus da Liberdade, em Redenção/CE, teremos a honra de receber os professores doutores Lucineudo Machado (Uece) e  Leidiane Tavares (Unilab) para a palestra “Uma agenda para o ensino de escrita nos próximos anos: da escola à universidade”.

          Na ocasião, os palestrantes debaterão sobre questões pertinentes ao letramento acadêmico, a realidade do ensino da escrita e suas perspectivas para os próximos anos. Eles discutirão sobre como a escola pode inserir no currículo atividades que promovam o aperfeiçoamento da escrita e do pensamento crítico, balizados por um programa que vise à integração de políticas públicas para o fortalecimento do ensino de escrita.

           Depois da palestra, teremos o lançamento da obra A Escrita em Espaços Institucionais: da Escola à Universidade, organizada pelos palestrantes e pelo professor doutor Júlio Araújo, da Universidade Federal do Ceará. A apresentação do livro será feita pela professora doutora Ana Maria Lima  (Uece). O livro será vendido a R$ 30,00, durante o lançamento.

Aplicação do Toefl ocorre no próximo dia 14

O Núcleo de Línguas, por meio do Programa Idiomas sem Fronteiras, divulga aberturas de 45 vagas para o teste Toefl no mês de dezembro, cujas provas serão realizadas no dia 14, nos campi da Unilab no Ceará.
O teste é aberto a estudantes e servidores – técnicos e docentes – da Unilab, que deverão se inscrever na aba “teste de proficiência” do portal.
O Toefl é um exame internacional de proficiência em inglês usado para a proficiência de mestrado da Unilab e para oportunidades de bolsas e intercâmbios em universidades no exterior.
A aplicação do teste é gratuita, sendo uma iniciativa da Secretaria de Educação Superior (SESu/MEC) em apoio às políticas linguísticas para a internacionalização do ensino superior.
Dúvidas serão sanadas através do e-mail [email protected]

Mais de 230 estudantes colam grau em noite festiva na Unilab

Colação de grau de 238 estudantes ocorreu no último dia 23 de novembro. Foto: Assecom/Unilab.
A noite do último dia 23 foi marcada pela sensação de dever cumprido, esperança e já um pouco de saudade: 238 estudantes da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) colaram grau, no período relativo ao semestre 2018.1. A universidade entregou à sociedade profissionais dos cursos de Administração Pública, Agronomia, Enfermagem, Engenharia de Energias, Humanidades, Ciências da Natureza e Matemática, Letras – Língua Portuguesa, História e Sociologia.
Reitor da Unilab, Alexandre Cunha, em discurso durante a colação de grau. Foto: Assecom/Unilab.
O reitor da Unilab, Alexandre Cunha, considera a colação de grau o momento em que a universidade, após um trabalho árduo e ético, confirma a relevância de seu papel e presta contas do trabalho desenvolvido. “Foram cinco cursos de bacharelado e quatro de licenciatura. Os discentes contaram com importantes programas como Pulsar e Monitoria Acadêmica, financiados pela própria Unilab, além de outros. A universidade conta com 184 bolsistas de iniciação científica, em mais de 90 grupos de pesquisa”, disse.

Outro ponto ressaltado pelo reitor é o investimento em assistência estudantil: mais de R$1 milhão por mês, o que coloca a Unilab como universidade brasileira que mais investe na área, proporcionalmente.
Em seus discursos cheios de gratidão, os oradores destacaram a vontade em servir a sociedade – seja no Brasil ou nos demais países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) –, os anos passados em Redenção e as amizades e mestres exemplares que levarão para a vida.
Oradora do curso de Administração Pública, Rebeca da Silva considera que os desafios são o motor do crescimento e que a colação de grau ainda não é a linha de chegada.
Renata Lima, representando o curso de Agronomia, ressaltou o aprendizado do real significado da palavra integração. “Foram muitos exemplos de resistência na Unilab. O campo é exemplo de força e transformação, a base do sustento da sociedade. Saímos daqui comprometidos com o campo e as pessoas e temos uma dívida de gratidão com o povo”, afirmou.
Bruna Monique, do curso de Enfermagem, reafirmou o compromisso dos profissionais recém-formados com a assistência. “Evitemos os hábitos, não maquinizemos a assistência. A luta continua na Enfermagem e pela Enfermagem”, salientou.
A turma de Humanidades homenageou a vereadora da cidade do Rio de Janeiro, Marielle Franco, morta em março deste ano. Jessica Diene e Antonio Candiengue proferiram o discurso, criticando o que a turma nominou como “retrocesso velado de moralidade distante da ética e respeito à dignidade da pessoa humana”.
 
Os estudantes Camila Moreira, do curso de Ciências da Natureza e Matemática, Livya Duarte, de Engenharia de Energias, e Rafael Nogueira, do curso de Letras – Língua Portuguesa, destacaram a qualidade do ensino da Unilab e a sólida formação recebida. Adriana Girão, do curso de História, agradeceu aos que lutam por uma educação pública, gratuita e de qualidade, aos servidores da Unilab, técnicos e docentes, e às escolas da região do Maciço de Baturité, onde os formandos puderam realizar seus estágios.
 
Por fim, o orador do curso de Sociologia, Gislailson Cá, instigou os estudantes a aproveitarem ao máximo a diversidade da Unilab, permitindo-se conhecer as várias línguas e cultura. “Esse é o significado do que é ser Unilab: três continentes em um só ambiente de ensino! Apostem na formação, conheçam as línguas, dancem”, finalizou.
A mesa de honra foi composta pelo reitor da Unilab, Alexandre Cunha; a vice-reitora, Andrea Linard; o pró-reitor de Graduação, Edson Holanda; a coordenadora do curso de Administração Pública, modalidade presencial, em exercício, Andrea Kanikadan; a coordenadora do curso de Agronomia, Susana Churka; o coordenador em exercício do curso de Enfermagem, Gilvan Ferreira; a coordenadora em exercício do curso de Engenharia de Energias, Rejane Félix; a coordenadora do curso de Humanidades, Jacqueline da Silva; o coordenador do curso de Ciências da Natureza e Matemática, Lourenço Cá; o coordenador do curso de História, Sérgio Krieger; a coordenadora do curso de Letras – Língua Portuguesa, Suele de Souza; e o coordenador do curso de Sociologia, Thiago Vasconcelos.

Sobre a Unilab
A Unilab é uma instituição vinculada ao Ministério da Educação, criada pela lei nº 12.289, de 20 de julho de 2010, e iniciou suas atividades acadêmicas em 25 de maio de 2011, com o objetivo de ministrar ensino superior, desenvolver pesquisas nas diversas áreas de conhecimento e promover a extensão universitária.
Sua missão institucional é formar recursos humanos para contribuir com a integração entre o Brasil e os demais membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), especialmente os países africanos, bem como promover o desenvolvimento regional e o intercâmbio cultural, científico e educacional.

Concurso escolherá logomarca do Instituto de Linguagens e Literaturas

A diretora pro-tempore do Instituto de Linguagens e Literaturas (ILL) torna público à Comunidade Acadêmica da Unilab o concurso para criação de logomarca e/ou logotipo do Instituto. Leia o edital. O concurso foi prorrogado com data limite de inscrições para o dia 3 de dezembro de 2018.
Todos (comunidade acadêmica interna e comunidade externa) podem participar do concurso. O autor da logomarca escolhida será premiado com um vale livros e uma menção honrosa.
Orientações para a criação da logomarca

• Os concorrentes deverão usar de livre inspiração e criatividade para encaminhar sua proposta.
• A logomarca deve conter necessariamente um símbolo e o nome do instituto.
• A logomarca deve ser criada em editor de imagens, tais como Corel Draw e Adobe Photoshop.
• A logomarca deve estar vetorizada ou salva com qualidade de no mínimo 300 dpi
• Os concorrentes deverão disponibilizar do lado esquerdo da figura o símbolo e do lado direito a sigla “ILL”
• A sigla deverá estar na cor Preta e em tamanho menor que o ícone.
Como participar
Os participantes deverão preencher este formulário. O candidato deverá anexar os seguintes arquivos: a) A logomarca vetorizada e nos formatos .jpg; .tiff ou .png ; b) o arquivo “aberto” no formato psd. ou cdr.; c) declaração de direitos autorais e cessão de direitos, ver anexos 1 e 2; e d) defesa da logomarca ( texto que o candidato explica sobre sua inspiração e o que ele quer transmitir com sua criação).

Abertas inscrições para o II Encontro de Estudos em Funcionalismo Linguístico

O II Encontro de Estudos em Funcionalismo Linguístico, que ocorre nos dias 6 e 7 de fevereiro de 2019, já está com inscrições abertas. Ouvintes podem se inscrever até 20 de janeiro, enquanto a submissão de resumos para comunicação oral em simpósio temático, em primeira chamada, será até 2 de dezembro. A ficha de inscrição, que está na página do evento, deve ser enviada ao e-mail [email protected]

Com o tema “Funcionalismo: teoria, descrição e ensino”, o evento ocorre nos campi da Liberdade e das Auroras, em Redenção/CE, sendo organizado pelo Instituto de Linguagens e Literaturas (ILL), da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab).

O II Encontro de Estudos em Funcionalismo Linguístico tem por objetivo proporcionar um espaço de diálogo entre professores, pesquisadores e estudantes que se interessam em investigar a língua sob o viés do paradigma Funcionalista.

O Funcionalismo se caracteriza por investigar a língua em uso, buscando compreender como os aspectos cognitivos e comunicativos envolvidos na comunicação humana condicionam a organização e o funcionamento das unidades linguísticas. Por possibilitar uma visão mais ampla e integradora da linguagem, o paradigma Funcionalista constitui campo produtivo para o diálogo com áreas, que, como o Funcionalismo, concebem a interdependência entre os processos linguísticos e os fatores sociais, cognitivos e discursivos relacionados ao uso da linguagem, tais como: a Sociolinguística, a Linguística Cognitiva, a Linguística de Texto, a Análise do Discurso, bem como a Linguística Aplicada no que diz respeito a questões relativas ao ensino de línguas.

A II edição do evento conta com a presença das professoras Maria Helena de Moura Neves (Unesp), na conferência de abertura, e Maria Angélica Furtado da Cunha (UFRN), na conferência de encerramento do evento. Além disso, haverá a participação de professores e pesquisadores da Universidade Federal do Ceará (UFC), como as professoras Márcia Teixeira Nogueira, Nadja Paulino Pessoa Prata e Maria Claudete Lima.

Simpósios temáticos

O evento realizará, também, inscrições para a participação em Simpósio Temático. Serão aceitas propostas de comunicação oral que se enquadrem em um dos seguintes eixos temáticos: Funcionalismo e Ensino; Funcionalismo e Discurso; Funcionalismo e Cognição; Funcionalismo, Variação e Mudança Linguística.