Category: Manchete

Por meio do SiSURE, Unilab disponibiliza 90 vagas para os cursos de Farmácia e Letras

A Universidade da Integração da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), por meio da Pró-Reitoria de Graduação (Prograd), abre processo seletivo destinado ao preenchimento de 90 vagas nos cursos de Graduação de Bacharelado em Farmácia e Licenciatura em Letras – Língua Inglesa. As inscrições serão realizadas, exclusivamente, pela Internet, no endereço eletrônico: sisure.unilab.edu.br.

Em modalidade presencial, todas as vagas são para ingresso no período letivo 2019.1, no Campus das Auroras, em Redenção/CE, e serão ocupadas por meio do Sistema de Seleção Utilizando os Resultados do Enem (SiSURE).

O processo de Seleção consistirá no aproveitamento de resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), referente ao ano de 2018. Poderão concorrer às vagas somente os candidatos que tenham concluído o Ensino Médio. O candidato, no ato de inscrição, responsabiliza-se pela validade das informações sobre ano de conclusão do Ensino Médio e a Edição do Enem a ser utilizada.

A seleção será composta de uma chamada regular e duas chamadas de lista de espera, estas últimas sujeitas a disponibilidade de vaga e ao interesse da administração. Em caso de não haver disponibilidade de vagas ou não for do interesse da administração, será publicado aviso no site sisure.unilab.edu.br no mesmo dia da possível convocação.

Os candidatos das modalidades de cotas, em qualquer das chamadas, que possuam nota para concorrerem em ampla concorrência, disputarão vaga nesta modalidade e não ocuparão vaga na modalidade de cota.

Para mais detalhes sobre o processo seletivo consulte o Edital nº 09, de 19 de Fevereiro de 2019

Unilab abre edital para chamada de espera com 168 vagas para ingresso no período letivo 2019.1

A Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) lançou o edital de convocação para chamada da lista de espera destinada ao preenchimento de 168 vagas remanescentes nos cursos de graduação da Unilab. Desse total, 106 estão destinadas para o Campus da Liberdade, Campus das Auroras e Unidade Acadêmica dos Palmares, no Ceará, e 62 para o Campus dos Malês, na Bahia. Todas as vagas são para ingresso no período letivo de 2019.1.

A chamada de lista de espera de que trata este edital consistirá no aproveitamento de vagas remanescentes da chamada regular da primeira edição do Sistema de Seleção Unificada (SiSU) 2019.1, relativo ao edital 02/2019. Só podem concorrer às vagas os candidatos que tenham concluído o ensino médio e que tenham efetuado manifestação de interesse na lista de espera do SiSU 2019.1.

O edital prevê a possibilidade de duas chamadas (ver cronograma no edital
anexo), a segunda só ocorrerá mediante disponibilidade de vagas e interesse da
administração. Esta última acontecendo, será realizada na modalidade de chamada
pública com a convocação de três vezes o número de vagas restantes.

A convocação e classificação para chamada da lista de espera terá validade exclusivamente para a pré-matrícula/matrícula com ingresso em 2019.1, em cursos de graduação presencial da Unilab, no Campus da Liberdade e Unidade Acadêmica dos Palmares, no Ceará, e no Campus dos Malês, na Bahia, dentro do limite de vagas.

Confira as listas aqui!i

IV Semana Internacional de Letras está com inscrições abertas

A quarta edição da Semana Internacional de Letras da Unilab (SILU) acontecerá, entre os dias 20, 21 e 22 de março, diversas atividades entre apresentação de Grupos de Trabalhos (GTs), Oficinas, Mini-cursos e Mesas de Debates, nos campi da Unilab do Ceará.
O objetivo da IV Semana Internacional de Letras da Unilab é o de reunir pesquisadoras e pesquisadores que investigam a linguagem nas suas mais diversas manifestações, bem como as práticas de ensino que perpassam tal objeto de investigação.
O prazo para Submissão de Trabalhos será até dia 1º de março com a modalidade “Comunicação Oral”. Confira as orientações para o envio de resumo científico!!
Inscrições
– Inscrições para Monitoria. Leia o Edital!
– Inscrições presencias até esta quinta-feira (7),  no pátio do bloco didático, a partir das 18h, no Campus da Liberdade, em Redenção/CE.
– Inscrições até dia 10 (domingo)
– Participação com Apresentação de Trabalho – Estudantes de Graduação, Graduados e Professores da Educação Básica com taxa de R$ 30.
– Participação com Apresentação de Trabalho- Estudantes de Pós-Graduação, Pós-graduados e Professores de IES com taxa de R$ 45.
– Participação SEM Apresentação de Trabalho- Estudantes de Graduação, Graduados e Professores da Educação Básica com taxa de R$ 25.

– Participação Sem Apresentação de Trabalho-Estudantes de pós-graduação, Pós-graduados e professores de IES Sem Apresentação de trabalho com taxa de R$ 40.
 

Inscrições até 07 de Março

– Participação Com Apresentação de Trabalho – Estudantes de Graduação, Graduados e Professores da Educação Básica, com taxa de R$ 40.
– Participação Com Apresentação de Trabalho- Estudantes de Pós-graduação, Pós-graduados e Professores de IES com taxa de R$ 55.

– Participação SEM Apresentação de Trabalho- Estudantes de Graduação, Graduados e Professores da Educação Básica com taxa de R$ 30.
– Participação Sem Apresentação de Trabalho-Estudantes de pós-graduação, Pós-graduados e professores de IES Sem Apresentação de trabalho com taxa de R$ 45.
 

Inscrições até 15 de março
– Participação Sem Apresentação de Trabalho-Estudantes de pós-graduação, Pós-graduados e professores de IES Sem Apresentação de trabalho com taxa de R$ 50,00.
 

Programação da SILU
O comitê científico do evento convidou duas conferencistas, Profª. Drª. Margarida Petter (FFLCH/USP) para a abertura e a Profª.  Drª. Regina Dalcastagnè (TEL/UnB) para o encerramento, em função do mérito de suas publicações científicas, cuja presença promoverá o aprofundamento das discussões. Dentre os vários nomes convidados, também já confirmamos as presenças dos professores Vicente Lima-Neto (DLCH/UFERSA), Elaine Cristina Forte (DLCH/UFERSA), Ana Maria Pereira Lima (FAFIDAM/UECE) e Rafael Rodrigues da Costa (ICA/UFC) em mesas-redondas que tematizam as pesquisas sobre linguagem e tecnologia e as práticas de ensino de língua materna.

II Semana de História está com inscrições abertas até dia 5

“Regimes Autoritários e o Ensino de História” será o tema da segunda edição da Semana de História da Unilab, que acontecerá no período de 19 a 21 de fevereiro, nos campi do Ceará.
O evento é organizado pelos discentes, o Programa Pulsar de História e o colegiado do Curso de Licenciatura em História, vinculado ao Instituto de Humanidades (IH/Unilab), que tem como coordenador o professor Sérgio Barreira.
A inscrição estão abertas, que para ouvinte é gratuita. A apresentação de trabalhos será cobrada uma taxa de R$ 10,00 (discente) e R$ 30,00 (docente) por participante (não por trabalho apresentado) e ambos terão garantida certificação. Os interessados devem preencher a Ficha de Inscrições até o dia 5 (terça-feira).
Entre as atividades do evento, com abrangência em ações no âmbito do ensino, pesquisa e extensão desenvolvidos por docentes e discentes de diversas instituições, está previsto a realização de Mesas de Debates, Cine-debates, Grupos de Trabalho (GTs), Oficinas, Minicursos, lançamentos de livros de professores da Unilab e apresentações artístico-culturais.
Promover a reflexão do histórico, bem como abranger as dimensões interdisciplinares inerentes ao fazer da universidade em seus diferentes campos de produção de saberes, este é o principal objetivo do evento, que pretende ampliar diálogos referentes às contribuições da história à análise e reflexões quanto à formação e prática de docentes-pesquisadores.
A escolha e discussão da temática busca abordar problemáticas subjacentes aos processos educativos e suas contribuições para a constituição de concepções e repertórios quanto às experiências vivenciadas  em contextos políticos autoritários.
Outras informações pelo email ([email protected]).
Visite o site do Evento e fique por dentro da Programação!
Inscrição de GT
Convidados:
Dia 19 – Mesa de Abertura – “Regimes Autoritários e o Ensino de História”
Astrogildo Fernandes é professor Dr em Educação, Licenciado em História investiga temáticas de Ensino de História, formação histórica, consciência histórica, juventudes etc e atualmente é Professor na Universidade Federal de Uberlândia (UFU).
Dia 20 – Mesa 2 – “Ensino de História e Formação – Estágio Supervisionado”
Socorro Lucena é professora Dra em Educação com experiência em Didática e Estágio Curricular Supervisionado, trabalho docente, práticas escolares, docência no ensino superior e formação contínua e professores.
Dia 21 – Mesa de Encerramento – “1964, o dezoito Brumário da burguesia brasileira”
Fabio José de Queiroz é professor Dr em Sociologia, Licenciado em História, pesquisa temas na área da História sobre América Latina, militares, marxismo e classes sociais. Atualmente é Professor na Universidade Regional do Cariri (URCA).
O curso de HistóriaO curso de Licenciatura em História da UNILAB coordenado pelo professor Sérgio Barreira, alcançou, em abril de 2018, nota máxima pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira do Ministério da Educação (Inep/MEC). O seu Projeto Pedagógico (PPC) baseia-se na formação em dois ciclos: a primeira, formativa em humanidades, com o Curso de Bacharelado em Humanidades, a segunda, especifica em Licenciatura em Historia ou como chamamos, terminalidade. O curso é em regime semestral, presencial, com carga horária de 3.345 horas distribuídas em 6 (seis) semestres, em período noturno. O curso atualmente conta com 18 doutores em seu corpo docente. Confira a matéria!

Unilab cria novos comitês em apoio à boa governança

A Unilab instituiu dois novos comitês de defesa que visam a prevenção, remediação de fraudes e atos de corrupção no apoio à boa governança, conforme estabelecido na Instrução Normativa Conjunta MP/CGU nº 01/ 2016. A Instrução Normativa destina-se a todos os órgãos do Poder Executivo federal.
Foram criados os Comitês: de Governança, Riscos e Controles Internos (CGRC) e de Gestão da Integridade (CGI) no âmbito da Unilab. Ambos vão atuar interligados a outros órgãos de controle interno e externo da universidade para melhor execução dos trabalhos, atividades e planejamentos desenvolvidos pelas unidades de gestão, fiscalização, execução e corpo docente.
Comitê de Gestão da Integridade
Instituído pela Portaria GR/Unilab nº 1.234/18, e publicado no Diário Oficial da União (DOU), Portaria nº 831/18, o órgão visa coordenar a estruturação, execução e monitoramento do Programa de Integridade (conjunto estruturado de medidas institucionais voltadas para a prevenção, detecção, punição e remediação de fraudes e atos de corrupção, em apoio à boa governança), através de seus membros, entre: Auditor Chefe, Ouvidor, Presidente da Comissão de Ética, Superintendente de Gestão de Pessoas (SGP) e Corregedor.
Conforme o Auditor Chefe, José César Rodrigues, os trabalhos da implementação do Gestão da Integridade (CGI), até o momento, estão na fase de análise preliminar das minutas do Regimento Interno do Comitê e do Plano de Integridade. A projeção é que a primeira reunião da equipe se realize em janeiro de 2019.
Dentre suas atividades, o CGI visa coordenar a elaboração e revisão de Plano de Integridade, com vistas à prevenção e à mitigação de vulnerabilidades eventualmente identificadas, além de coordenar a implementação do programa de integridade e exercer o seu monitoramento contínuo, visando seu aperfeiçoamento na prevenção, detecção e combate à ocorrência de atos lesivos e atuar na orientação e treinamento dos servidores da Unilab com relação aos temas atinentes ao programa de integridade.
Os Planos de Integridade que comporão o Programa de Integridade estão na fase de aprovação pela equipe do Comitê.
“A implantação de um eficiente Programa de Integridade garantirá à Unilab estratégias com capacidade de diminuir os riscos em seus procedimentos e relações, seja com o setor privado ou com o setor público, alertando acerca das sanções em caso de ilegalidades; no sentido de uma abordagem preventiva de promoção da cultura da integridade e ética no serviço público”, declarou César Rodrigues.
 
Comitê de Governança, Riscos e Controles Internos (CGRC)
 
Sob a Portaria GR nº 1.259/18, e Portaria DOU nº 831/18, a Unilab instituiu o Comitê de Governança, Gestão de Riscos e Controles (CGRC), objetivando adotar medidas para a sistematização de práticas relacionadas à gestão de riscos, controles internos e governança.
Segundo o pró-reitor de Planejamento (Proplan), Matheus Pontes, a demanda de criação dos comitês surge da exigência dos órgãos órgãos de controle externo e interno, como também da cobrança pela sociedade, a qual anseia pela transparência de divulgação, destinação e melhor aplicação dos recursos públicos.
“Quando o CGRC trata do gerenciamento de risco, mostra que devemos trabalhar os objetivos estratégicos da Unilab, conjuntamente com o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), para que os possíveis riscos de execução sejam mapeados, detectados e trabalhados para promover uma correta execução. Caso ocorram, sejam minimizados”, afirmou Matheus Pontes.
Matéria relacionada: Conheça o trabalho da Ouvidoria, Comissão de Ética Pública e Corregedoria da Unilab

Nota da Reitoria sobre o ranking de fragilidade à corrupção do TCU

Na última sexta-feira, o jornal O Povo publicou uma matéria sobre o relatório do Tribunal de Contas da União (TCU), onde constam diversos órgãos federais de todo o Brasil ranqueados segundo riscos ou fragilidades à corrupção. A Unilab surge com pontuação 0,83, faixa de risco considerado “alto”.
É importante salientar que os relatórios do TCU não traduzem ilícitos, mas fragilidades da estrutura que, no caso da Unilab, ainda tem seus equipamentos de defesa sendo construídos. Esclarecemos que vêm sendo realizados esforços no sentido de implementar e otimizar os processos de governança, gestão de riscos e controle internos no âmbito da Unilab. O Gabinete da Reitoria instituiu o Comitê de Gestão da Integridade (Portaria GR nº 1234/2018) com a atribuição de coordenar a estruturação, execução e monitoramento do Plano de Integridade no âmbito da Unilab, em conformidade com a Portaria CGU 1089/2018. Ainda, em conjunto com a Auditoria Interna, tem acompanhado a implementação das recomendações exaradas nos Relatórios da Controladoria Geral da União e Tribunal de Contas da União.
Ressaltamos que o relatório não reflete a situação atual, uma vez que a última auditoria do TCU na Unilab ocorreu no ano passado (2017). Desta forma, já melhoramos sensivelmente em relação ao que foi constatado. Ao longo dos anos, diversas ações destes Órgãos de Controle já foram executas na Unilab e nenhum indício da má-fé ou prejuízo ao erário foram apontados. Sempre tivemos nossos relatórios de gestão aprovados pelo TCU.
A Unilab compreende e se coloca favorável às recomendações e às determinações apontadas pela CGU e TCU, que são fundamentais para o aperfeiçoamento da sua gestão.

Unilab revisa Estatuto e remete documento ao MEC

Unilab revisa Estatuto e remete documento ao MEC
A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) concluiu, por meio de comissão própria, revisão de seu Estatuto, a partir de apontamentos feitos pela Coordenação-Geral de Legislação e Normas da Educação Superior (CGLNES), vinculada à Secretaria de Educação Superior do Ministério da Educação (CGLNES/SeSu/MEC).
O documento revisado passou por apreciação do Conselho Universitário da Unilab (Consuni), onde foi aprovado em sessão no último dia 8. O Estatuto foi novamente remetido ao MEC, que poderá fazer novos apontamentos.
A revisão do Estatuto foi realizada por comissão, constituída especificamente para o processo (portaria GR nº 1.022, de 20 de setembro de 2018, alterada pela portaria GR nº 1102, de 05 de outubro de 2018), composta por representações das unidades acadêmicas e de servidores técnico-administrativos – os discentes não indicaram representação. Os trabalhos da comissão tiveram início em 27 de setembro e culminaram na aprovação pelo Consuni da minuta de Estatuto revisado.
Em parecer, a comissão ressalta que a revisão “pautou-se nos itens solicitados nos apontamentos descritos pela CGLNES, conforme comunicado recebido pela universidade, e na recomendação feita pela referida unidade para consultar o estatuto da UFV nos itens patrimônio e finanças”.
A minuta do Estatuto revisado contou ainda com manifestações das pró-reitorias de Administração (Proad) e Planejamento (Proplan) e da Procuradoria Federal junto à Unilab.

Unilab abre inscrições para o processo seletivo SiSURE/UNILAB – 2018.2

Nesta terça-feira, 13 de novembro, a Unilab lançou o Edital para o Processo Seletivo SiSURE/UNILAB – 2018.2.  Trata-se da realização de processo seletivo utilizando os resultados do Enem (SiSURE) para preenchimento de 272 (duzentas e setenta e duas) vagas nos cursos de Graduação, em modalidade presencial, ofertados pela UNILAB, conforme quadro abaixo:

Os estudantes selecionados devem ingressar no período letivo 2018.2, nos Campus da Liberdade, Ceará, e no Campus dos Malês, Bahia, com início do período letivo previsto já para este dezembro, no dia 3.
De acordo com o edital, as inscrições serão feitas exclusivamente via Internet, no endereço eletrônico sisure.unilab.edu.br, e estão abertas desde as 0h da última terça-feira (13) de novembro, devendo se estender até as 23h59min do próximo dia 19, segunda-feira, observado o horário de Fortaleza. Somente será permitida uma única inscrição por candidato, que concorrerá a uma única vaga.

Biotério da Unilab inicia suas atividades com a criação de Camundongos Swiss

Biotério Central da Unilab é uma Unidade Administrativa ligada ao Instituto de Ciências da Saúde (ICS)
A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) dispõe de um novo equipamento, o Laboratório de Biotério. Esta unidade administrativa está ligada ao Instituto de Ciências da Saúde (ICS) e foi implantada na Unidade Acadêmica dos Palmares, em Acarape/CE, com a missão de reproduzir, criar e manter “Modelos Biológicos” para atender demandas de ensino e pesquisa da universidade, observando sempre os aspectos éticos da ciência em animais de laboratórios e as legislações pertinentes.
O processo de implantação do Biotério teve o apoio e o acompanhamento da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Proppg/Unilab), junto ao ICS, desde a etapa de aquisição das instalações físicas até a aquisição do mobiliário, como também na formação do Comitê de Ética em Experimentação Animal (CEEA/Unilab). Isso tudo seguindo as exigências e diretrizes do Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (Concea).
Segundo Albanise Barbosa, pró-reitora da Proppg, “a implantação do Biotério é fundamental para  o credenciamento institucional, para a realização de atividades com animais em ensino ou pesquisa junto ao Concea, além da institucionalização do CEEA”.
O Comitê de Ética em Experimentação Animal (CEEA) é um órgão colegiado, interdisciplinar e independente, com caráter público, consultivo, deliberativo e educativo. Está vinculado à Proppg e se destina a fazer a revisão ética de toda e qualquer proposta de atividade de ensino, pesquisa e extensão que envolva o uso de animais não-humanos na Unilab. O CEEA é componente essencial para aprovação, controle e vigilância das atividades de criação, ensino e pesquisa científica com animais. Ele também garante o cumprimento das normas de controle da experimentação animal editadas pelo Concea.
Segundo a Resolução Normativa Concea nº 01/2010, qualquer instituição legalmente estabelecida em território nacional, que crie ou utilize animais para ensino ou pesquisa científica, deverá constituir Conselhos de Ética, chamados de Comissões de Ética no Uso de Animais (CEUAs). É preciso requerer seu credenciamento junto a este Conselho, sendo um componente essencial para aprovação, controle e vigilância das atividades de criação, ensino e pesquisa científica com animais, bem como para garantir o cumprimento das normas de controle da experimentação animal editadas.
A unidade laboratorial da universidade é norteada por regras específicas, tais como: a Diretriz Brasileira para o Cuidado e a Utilização de Animais para fins científicos e didáticos (DBCA) e as normativas definidas pelo Concea.
Os princípios estabelecidos DBCA são orientações para pesquisadores, professores, estudantes, técnicos, instituições, comissões de ética e todos os envolvidos no cuidado e manejo de animais para fins científicos ou didáticos.

O Biotério de Manutenção/Unilab, de acordo com a Resolução Normativa nº 03/2011 do Concea, é um local destinado à manutenção de animais para fins de ensino ou pesquisa científica, além de ser um espaço aberto ao funcionamento de atividades pedagógicas das disciplinas afins ao objeto de estudo, aprendizado e experimentação de atividades e projetos relativos ao desenvolvimento e aprimoramento intelectual e prático dos alunos das áreas da saúde.
A estrutura utiliza e adota os princípios éticos difundidos internacionalmente, segundo critérios do Internacional Council for Laboratory Animal Science (ICLAS) e do Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (Concea), para nortear as boas práticas do bioterismo.
Conforme a coordenadora e responsável pelo projeto de implantação do Biotério da Unilab, Anelise Alves, médica veterinária vinculada ao ICS, a formação do Comitê de Ética em Experimentação Animal da Unilab e a implantação do Biotério são exigências do Concea para que a instituição possa fazer uso de animais em aulas práticas ou pesquisas, assim baseados nos critérios estabelecidos pela Lei Arouca (11.794/18), que regula a criação e a utilização de animais em atividades de ensino e pesquisa científica em todo o território nacional. A utilização de animais em atividades educacionais fica restrita a estabelecimentos de ensino superior e de educação profissional técnica de nível médio da área biomédica.
DBCA estabelece os procedimentos para criação e manipulação científica de animais
Os trâmites processuais quanto à regulamentação da Unilab junto ao Concea estão em andamento. Segundo Anelise Alves, a partir desta etapa finalizada, “o Biotério poderá fornecer os animais para experimentação e uso. Antes, todo projeto e plano de aula que necessitem do uso de qualquer animal devem ser analisados e aprovados pelo Comitê de Ética em Experimentação Animal da Unilab (CEEA)”, esclareceu a presidente do Comitê.
O Biotério da Unilab, assegurando o compromisso da comunidade científica mundial, segue os Princípios de Russell-Burch (1959) de Reduction, Replacement and Refinement (redução, substituição e refinamento) no uso de animais, conhecido como Princípio dos 3Rs. Estes princípios visam a reduzir o número de animais por procedimento experimental em um estudo, substituir o uso de animais sempre que possível e aprimorar métodos já descritos para minimizar o desconforto animal.
Os animais são mantidos em condições controladas de luz, umidade e temperatura, além de barreiras sanitárias para manutenção da sanidade dos mesmos.
Atualmente, o laboratório dispõe de 30 animais, todos Camundongos Swiss (Mus musculus), que foram doados pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Os animais estão na fase pré-púbere, não estão em reprodução. Segundo a coordenação do Biotério, a ideia é, a princípio, ser um laboratório de criação e produção de camundongos.
Segundo a  Coordenação de Orçamento da Pró-Reitoria de Planejamento (Proplan), a fase de construção teve necessidade de reformas e adaptações, e a fase de aquisição de equipamentos necessários para a acomodação dos animais e descarte de resíduos, além da aquisição de maravalha (cama dos animais) e ração, insumos específicos às espécies, foram realizadas através de processos licitatórios e receberam investimentos de aproximadamente R$ 24 mil.
Camundongos mantidos em gaiolas recebendo ração peletizada e água a vontade.
Biotério – Capacitação
Como forma de capacitação, a coordenação do Biotério/ICS realizou a capacitação para 30 estudantes interessados em Bioterismo, durante a última edição da Semana Universitária da Unilab, ocorrida entre 16 a 19 de outubro. O mini-curso de “Manejo de Animais de Laboratório – Pesquisa e Ensino”, com carga-horária de 4h/a, abordou os temas: Lei Arouca, Bem-Estar Animal, Micro e Macroambiente de um Biotério, Manejo e manipulação de roedores usados na pesquisa e foi ministrado pela médica-veterinária Anelise Alves.
Instituto de Ciências da Saúde promoveu a capacitação “Manejo de Animais de Laboratório – Pesquisa e Ensino” na V Semana Universitária.