Category: Servidor

“A importância do espanhol nos dias atuais” é tema da Roda de Conversa, próxima quarta-feira (20)

Print

“A importância do espanhol nos dias atuais”, eis o tema da Roda de Conversa que acontecerá na próxima quarta-feira (20), às 12h30, na salad de aula 02, do Bloco Didático no Campus da Liberdade, em Redenção/CE.
A roda será mediada pelo professor do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas (ICSA/Unilab), João Coelho, trazendo sua experiência pessoal morado na Espanha e sua relação com a língua espanhola nesse período.
A atividade concede aos participantes uma declaração de participação. 
A iniciativa é do Projeto de Extensão “Espanhol – Língua e Cultura”, coordenado pela professora e doutora em Linguística Aplicada, do Instituto de Linguagens e Literaturas (ILL), Gislene Carvalho.

Vista da Igreja Católica Sagrada Família, projetada pelo catalão arquiteto Antonio Gaudi. Barcelona, Espanha

Aberto prazo de submissão de trabalhos para II Semana de Antropologia da Unilab

A Comissão Organizadora da II Semana de Antropologia da Unilab abriu o prazo de submissão de propostas para Grupos de Trabalhos (GTs) com submissões até dia 27 de março. O evento acontecerá nos dias 13, 14 e 15 de maio, em Redenção/CE, com a temática: O Campo Profissional da Antropologia.
 
Os interessados deverão encaminhar as propostas através do e-mail ([email protected]). Confira as regras no site do evento. O GT pode ser proposto por docentes e/ou estudantes de programas de Pós-Graduação Stricto Sensu, e/ou pessoa conhecedora da temática proposta.
 
Os Grupos de Trabalho da II Semana de Antropologia consistirão em espaços destinados ao debate de temas cadentes na Antropologia, sempre tendo em vista a interdisciplinaridade que caracteriza a disciplina. Abaixo seguem as informações, regras e prazos para submissão da proposta de Grupos de Trabalho.
Confira a programação no site do evento.
 
Matéria relacionada: II Semana de Antropologia promove pré-evento nesta quarta (6)

Nesta sexta (15), Programa Pulsar promove Cine Debate sobre o filme “O menino que descobriu o vento”

Nesta sexta (15), a partir das 14h, no bloco III, sala 301, da Unidade Acadêmica dos Palmares, será exibido o drama que se trata de um jovem de Malawi que se cansou de assistir todos os colegas de seu vilarejo passando por dificuldades e começou a desenvolver uma inovadora turbina de vento.
A atividade de Cine Debate faz parte do Programa Pulsar – Orientação e Acompanhamento Acadêmico, vinculado ao Curso de Humanidades do Instituto de Humanidades (IH) e coordenado pelo professor Jon Anderson Cavalcante. Aos participantes será concedido certificação.

Sobre o filme
William Kamkwamba foi um garoto intelige e autodidata, descobriu, através de um livro de ciências, um método de criar energia eólica com a construção de uma turbina eólica a partir de árvores, peças de bicicleta e material de ferro-velho para salvar sua família diante de uma terrível seca no Maláui, no ano de 2001, de modo a garantir a irrigação das colheitas e a sobrevivência de uma população faminta.
O diretor Chiwetel Ejiofor, indicado ao Oscar por “12 Anos de Escravidão”, faz deste caso real, um exemplo sobre a importância dos estudos, da ecologia, de políticas humanitárias e do senso de comunidade. Desta forma, o garoto é instrumentalizado para caber dentro do formato narrativo e moral de uma fábula.
Ele jamais representa a si mesmo, e sim algo muito maior: a importância das escolas, da união, da luta contra as opressões, do respeito ao próximo etc. Por esta razão, a história se transforma num grande tratado.

1º Intercâmbio Juventudes em movimento nas cidades Brasil e África promove atividades no dia 20

No próximo dia 20 (quarta-feira), a primeira edição do Intercâmbio Juventudes em movimento nas cidades Brasil e África traz, ao público participante, atividades (Painéis e Sarau Artístico) com temas em discussões que envolvam a ocupação criativa dos espaços, levando em conta aspectos políticos, culturais e educacionais, a partir das 14h, na Unidade Acadêmica dos Palmares, em Acarape/CE.
Para o coordenador do Projeto de Extensão “Diálogos Urbanos”, vinculado ao Grupo de Extensão e Pesquisas Urbanas (GIPU), Eduardo Machado, nos últimos anos, “as juventudes vêm constituindo modos inovadores de mobilização, associativismo e atuação política, particularmente nas periferias urbanas de grandes, médias e pequenas cidades, impactando as formas de ocupação, acesso e uso de diferentes espaços urbanos, as estruturas e as dinâmicas urbanas”, explica Eduardo, professor do Instituto de Humanidades e Letras (IHL).
Em destaque está os coletivos de juventudes/culturais e as redes associativas, compondo um mosaico bastante diverso – e que atuam em diferentes dimensões e escalas – de formas de luta e ocupações criativas de espaços públicos, interseccionando, nas lutas por direitos, diferentes linguagens artísticas, demandas e pautas. Ao fazer a cidade, as juventudes tornam-se agentes políticos, reconstituem vínculos sociais e efetivam processos intensos e reiterados de formação das identidades e de aprendizagem coletiva.
Nesse contexto, e considerando as conexões “Unilab-Bom Jardim”, em construção através de um conjunto de parceiros, considerando o caráter internacional, e particularmente a presença de países africanos que compõem a Unilab, pretende-se fomentar discussões que envolvam a ocupação criativa dos espaços, levando em conta aspectos políticos, culturais e educacionais.
O foco é que as próprias juventudes em movimento, inclusos estudantes africanos e brasileiros, que defendem seus direitos de ocupação e produção dos territórios das cidades, possam socializar e discutir experiências, trajetórias, saberes e práticas vivenciadas.

Ciclo Temático de Leituras sobre Juventudes e Políticas Públicas realiza atividade, nesta quinta (14)

A segunda sessão do Ciclo Temático de Leituras sobre Juventudes e Políticas Públicas acontecerá nesta quinta-feira (14), a partir das 14h, no bloco didático do Campus da Liberdade, em Redenção/CE.
A discussão traz a temática “Juventudes e políticas públicas: comentários sobre as concepções sociológicas de juventude”, do professor da Universidade Federal de Alfenas/MG (Unifal-MG), sociólogo e doutor em Ciências Sociais, Luís Antônio Groppo.
Sobre o GERE
O Grupo de Pesquisa e Extensão sobre Relações Étnico-Raciais, Gênero e Educação (GERE), em parceria institucional da Uece/Unilab, é coordenado pela professora do curso de Licenciatura em Sociologia (IH/Unilab), Alda Sousa e da professora do curso de Ciências Sociais da Universidade Estadual do Ceará (Uece), Michely Peres de Andrade.
O Grupo congrega docentes e discentes das universidades públicas (Unilab e Uece)  interessados em pesquisar e intervir sobre temas relacionados a questão étnico racial e de gênero em espaços de educação formal e não-formal. Inclui-se interlocuções com as metodologias de ensino, o currículoescolar, as artes, a infância, a adolescência e as juventudes. Busca ampliar um diálogo interinstitucional e interdisciplinar, atuando nas seguintes linhas de pesquisa e extensão: Educação, Gênero e Sexualidade; Educação e Relações Étnico-Raciais; Culturas escolares, Juventudes e Ensino Médio.
Outras informações pelo e-mail do GERE ([email protected]).

Unilab/BA disponibiliza oportunidades para empreendimentos econômicos solidários com inscrições até dia 31

Participar e conquistar credibilidade para os projetos, empresas e ofertas de serviços no mercado da Bahia e entorno, eis o convite de oportunidade para empreendimentos econômicos solidários que o novo equipamento que a Universidade de Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (Unilab) está disponibilizando, a Incubadora de Empreendimentos de Economia Solidária (IEES).
A IEES está localizada no Campus dos Malês, em São Francisco do Conde/BA, composta por uma equipe de estudantes, professores e parceiros como objetivo de realizar assessoria técnica em diferentes temas relacionados à gestão, produção, comercialização e o consumo de produtos e serviços.
Para fazer parte de algum empreendimento que está se organizando e tenha alguma das dificuldades mencionadas, preencha o Formulário Eletrônico até dia 31 (domingo). Caso não possa realizar a inscrição online, poderá, também, ser presencial sempre às terças e sextas-feiras, das 10h às 15h, no Campus dos Malês/BA.
Neste semestre a equipe está identificando grupos e empreendimentos (principalmente de São Francisco do Conde, Santo Amaro e Candeias) que desejam participar desta assessoria. Serão bem-vindos também grupos informais, cooperativas de agricultura familiar, cooperativas de artesãos, associações de catadores, entre muitos outros.
Outras informações, pelos contatos: (71) 99265 0425 ou (71) 99202 0008. Além do envio pelo e-mail da IEES ([email protected]).

“Estudar e sentir saudade do meu lugar” é tema da Roda de Conversa do Projeto “Clinica da Saudade”, dia 28

Conversar sobre a Saudade, esta será a temática da atividade de Roda de Conversa promovida pelo Projeto de Extensão “Clinica da Saudade”, na próxima quinta-feira (28), a partir das 15h, na área de convivência do bloco didático do Campus da Liberdade, em Redenção/CE.
O encontro é aberto ao público que discutirá o tema “Estudar e sentir saudade do meu lugar: como equilibrar as emoções?” visando contribuir para a vivência da saudade na dimensão coletiva. A atividade terá grupos de encontros mensais.
O Projeto de Extensão “Clinica da Saudade”, coordenado pela  psicóloga e professora do curso de Pedagogia, vinculado ao Instituto de Humanidades (IH), Fátima Bertini, busca promover um espaço de reflexão entre os discentes da Unilab, cujo tema central consistirá no diálogo coletivo da vivência da saudade.

Prorrogadas as inscrições, até domingo (17), para atividades extracurriculares da “Casa Encantada”

As inscrições das atividades extracurriculares (ludicidade, culturas de matrizes africanas, educação ambiental e cultivo da terra) para esse 1º semestre de 2019 na “Casa Encantada” para crianças de 4 a 10 anos foram prorrogadas até domingo (17).
As inscrições podem ser feitas via email: [email protected] com o nome e idade da criança e nome e contato do responsável ou presenciais na própria Casa Encantada (Av. Abolição, 03) até este domingo (17 de março), das 13h30 às 17h.
O Centro Integrado de Atenção ao Desenvolvimento Infantil – CIADI em parceria com a Secretária da Educação do município de Redenção/CE comunica que, devido aos imprevistos ocorridos neste inicio de ano, houve a necessidade de suspensão e adaptação do calendário de atividades 2019 para oferecer melhores serviços de segurança e qualidade no atendimento à todos envolvidos.

Sobre o Ciadi
O Centro Integrado de Atenção Infantil (Ciadi) funciona desde 2014, com atividades para crianças de 4 a 10 anos. Surgiu de uma vontade de professores dos institutos da Unilab e dos pais e mães discentes em prover educação infantil. Desde então, o Ciadi tem as seguintes atividades:
– Formação mensal para os alunos da Unilab e professores da rede (já na 8ª edição, que ocorrerá de 23 a 26 de julho).– Atendimentos extra-curriculares interdisciplinares – cultivo da terra e educação ambiental, engenharia social, matrizes africanas, ludicidade, musicalidade, saúde física e emocional – às crianças da Unilab e da comunidade do entorno de segunda a sexta, das 13h30 às 17h.
O centro tem parceria com a gestão pública dos municípios do Maciço de Baturité e hoje é um órgão complementar do Instituto de Humanidades e Letras da Unilab (IHL), mantendo uma sede fixa, a Casa Encantada.

Grupo Nerab promove palestra sobre “A filosofia Bantu e a ancestralidade Afro-brasileira”

O grupo Nerab promoverá, na próxima segunda-feira (11), a partir das 14h, a palestra coordenada pelo professor do Instituto de Humanidade e Letras (IHL), Marlon Marcos, sobre “A Filosofia Bantu e a Ancestralidade Afro-brasileira”, no Auditório do Campus dos Malês, em São Francisco do Conde/BA.
A palestra conta com a participação de Iyá Zulmira de Zumbá e de Tiganá Santana. A temática visa apresentar a importância das civilizações africana Bantu no processo de construção da sociedade brasileira.
Sobre os convidados
Iyá Zulmira é a sacerdotisa-mor do Unzó Tumbenci, em Lauro de Freitas-BA, há 68 anos e conhecedora dos procedimentos litúrgicos que envolvem as três mais conhecidas nações de candomblé no Brasil: o congo-angola, o jeje, o nagô – ketu, sua fala nos abençoará para melhores reflexões, dando o sentido religioso de origem bantu que ergueu o nosso candomblé.
Tiganá Santana é um taata ( xicarogoma), de formação filosófica e musical dentro das matrizes culturais africanas, afrobrasileiras, dialogando com a música produzida em outras partes do planeta. Doutorando pela USP, em estudos da tradução acerca do que chamamos como ” o pensar proverbial Bantu na obra do congolês Kimbwandende Kia Bunseki Fu-Kiau (1934-2013).

VI Congresso Internacional da Lusofonia – GT Soberania, Segurança Alimentar e Nutricional está com inscrições abertas

Em maio, dias 21 a 24, acontecerá o VI Congresso Internacional da Lusofonia, com o tema: “Dignidade Humana e Desenvolvimento social: justiça, crescimento econômico e sustentabilidade”, organizado pela Rede de Investigação em Direito Lusófono, realizado pela Universidade de Fortaleza (Unifor), em parceria com a Unilab, e Universidade do Minho, no bairro Edson de Queiroz, em Fortaleza/CE.

Os Eixos Temáticos desta sexta sedição têm sessões plenárias e grupos temáticos sobre: 
1. Direitos Humanos e efetivação da dignidade da pessoa humana2. Direito, economia e sustentabilidade 3. Direito e resposta penal no espaço lusófono4. Direito, desigualdade e exclusão social5. Direito humano à alimentação adequada6. Direito e novas tecnologias sociais 

A Unilab, em especial o Grupo de Trabalho “Soberania, Segurança Alimentar e Nutricional”, organizado pela equipe do Projeto do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional (Consan) da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), convida a todos interessados para participar deste evento de cunho internacional, que procura fortalecer as ligações com projetos de pesquisa e ensino com outros países que partilham patrimônio cultural, linguístico e jurídico, e de importantes fatores da identidade lusófona.
 
Conforme o edital de Comunicações Científicas do Programa de Pós-Graduação em Direito Constitucional da Unifor, a sexta edição do Congrasso Internacional de Direito da Lusofonia traz as regras para a submissão e aprovação de comunicações científicas (trabalhos) a serem feitas nos Grupos Temáticos (GTs), cujo a temática será “Dignidade Humana e Desenvolvimento Social: justiça, crescimento econômico e sustentabilidade”
 
Os GTs aos quais os trabalhos serão submetidos são os seguintes, conforme programação divulgada no site do evento: Entre as linhas de pesquisa teremos:
 
I – Direito, Estado, Sociedade e Constituição: O papel da Constituição no Estado Democrático de Direito. Transformações Constitucionais e Pensamento Constitucional Contemporâneo. Direitos Humanos, Democracia e Sociedade.
II – Questões de gênero e a discriminação por orientação sexual nos países lusófonos: Interfaces entre gênero, orientação sexual e igualdade. Preconceito, discriminação, diferença, alteridade e identidades culturais no espaço lusófono.
III – As mulheres nos países lusófonos: Igualdade, capacitação, emprego e renda. Oportunidades no mercado de trabalho e enfrentamentos jurídicos.
IV – Dignidade da pessoa humana: Justiça, oportunidades e capacidades. Dignidade da pessoa humana e o mínimo existencial. Dignidade e limites à autonomia da vontade. Dignidade da pessoa humana e reflexos jurisprudenciais.
V – Migrações no espaço lusófono: Defesa e soberania do Estado frente às migrações. Os princípios da fraternidade e da dignidade humana e a questão migratória; entre outros.
 
As comunicações poderão ser feitas até o dia 15 (sexta-feira), impreterivelmente, pelo email ([email protected]). Os resultados das submissões serão divulgados até dia 01 de abril de 2019.
 
Confira o Edital para submissão de Resumo Expandido e o Modelo do Resumo.
Os interessados em participar como Ouvinte, as inscrições para o Congresso são gratuitas e podem ser confirmadas até o último dia de evento, mediante limitação do número de vagas.
A intenção do evento é que os representantes dos países participantes divulguem suas filosofias, carências, potências, sucessos e retrocessos vividos a partir das conquistas dos Direitos Constitucionais e, em especial, verifiquem estratégias de cumprimento dos objetivos de desenvolvimento sustentável demarcadas pela ONU e ratificadas pelos países membros das nações unidas.
Participe e confira a Programação!

Sobre o Congresso
Em 2018, esse Congresso encontra-se sedimentado em razão da densidade das pesquisas alcançadas ao longo desses seis anos. Vale lembrar que a primeira edição foi realizada em 2014, em Portugal, na Universidade do Minho; em 2015, a segunda edição foi organizada em Angola; já em 2016, a terceira edição ocorreu novamente em Portugal. Em 2017, deu-se a quarta edição, organizada no Brasil. Na mesma vertente, a Escola de Direito da Universidade do Minho retomou a organização do Congresso Internacional de Direito da Lusofonia nos dias 22, 23 e 24 de março de 2018. Todos esses congressos obtiveram sucesso assinalável. No ano de 2019, o evento retorna ao Brasil e, pela primeira vez, acontece no Nordeste do Brasil, na cidade de Fortaleza.
As edições anteriores do Congresso Internacional do Direito da Lusofonia contaram com acadêmicos, magistrados, advogados e representantes políticos de diversos países lusófonos, como Portugal, Brasil, Cabo Verde, Moçambique, Angola, S. Tomé e Príncipe, Macau, Timor Leste e Guiné Bissau.
As universidades parceiras promotoras do evento têm por objetivo reforçar os laços de amizade com os países lusófonos e integrar, por meio de apresentações de ideias, de discussões e de projetos, práticas jurídicas e econômicas que agreguem estratégias de planejamento em favor da diminuição do fosso avassalador que divide a população entre aqueles que têm acesso à concretização dos direitos sociais e aqueles que vivem em estado de pobreza, à margem do gozo do exercício dos direitos de personalidade.